Análise ergonômica do trabalho (AET) em uma empresa de confecções

Moacir Francisco Deimling, Daniela Pesamosca

Resumo


A indústria de confecções tem se apresentado como uma importante geradora de renda e emprego nas mais diversas regiões do País. Por se tratar de um setor de intensa utilização de mão-de-obra, são constantes as preocupações para com a saúde e segurança dos funcionários destas indústrias. A análise do posto de trabalho e de como o homem interage nesse ambiente são fatores que vem sendo discutidos por pesquisadores há muito tempo. Guérin; et.al.(2001) trazem uma discussão diferente à medida que introduzem o escopo de interação dos diferentes aspectos abordados pela ergonomia. Este estudo busca realizar uma Análise Ergonômica do Trabalho (AET) em um posto de trabalho de uma fábrica de confecções. Esta pesquisa pode ser caracterizada como um estudo de caso, por abordar a realidade de uma indústria de confecções. Quanto aos objetivos é uma pesquisa de caráter descritivo e quanto à abordagem do problema pode ser caracterizado como uma pesquisa qualitativa. Teve como métodos de coleta de dados a pesquisa documental, a entrevista e a observação participante. Este estudo demonstra que a abordagem proposta pelos autores é valida, permitindo a identificação dos principais problemas envolvidos com a atividade do posto de trabalho. Como principais resultados deste estudo, tem-se a avaliação do posto de trabalho e propostas que visam reduzir as situações que exponham o trabalhador a riscos ergonômicos.

Palavras-chave


Análise Ergonômica do Trabalho (AET); Ergonomia; trabalho; Confecções

Texto completo:

PDF/A

Referências


BALCI, Rana; AGHAZADEH, Fereydoun. Effects of exercise breaks on performance, muscular load, and perceived discomfort in data entry and cognitive tasks. Computers & Industrial Engineering, v. 46, n. 3, p. 399-411, Jun/2004.

BONFATTI, Renato; MOTTA, Denise; VIDAL, Mario Cesar. Os limites da análise ergonômica do trabalho centrada na identificação de riscos biomecânicos. Ação Ergonômica, v. 1, n. 4, out/2003.

DAS, Biman; SENGUPTA, Arijit K. Industrial workstation design: a systematic ergonomics approach. Applied Ergonomics, v. 27, n. 3, p. 157-63, 1996.

GUÉRIN, F. et al. Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo: Edgar Blucher, 2001.

HUGHES, Richard E.; NELSON, Nancy A. Estimating investment worthiness of an ergonomic intervention for preventing low back pain from a firm’s perspective. Applied Ergonomics, v. 40, n. 3, p. 457–463, 2009.

IIDA, Itiro. Ergonomia: projeto e produção. 2ª. ed. rev. e ampl. São Paulo: Edgard Blucher, 2005.

JUNG, Myung-Chul; HALLBECK, M. Susan. Ergonomic redesign and evaluation of a clamping tool handle. Applied Ergonomics, v. 36, n. 5, p. 619–624, 2005.

KROEMER, K. H. E.; GRANDJEAN, Etienne. Manual de ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

MACLEOD, Iain S. Real-world effectiveness of Ergonomic methods. Applied Ergonomics, v. 34, n. 5, p. 465–477, 2003.

MILES, Angela. K.; PERREWE, Pamela. L. The Relationship Between Person–Environment Fit, Control, and Strain: The Role of Ergonomic Work Design and Training. Journal of Applied Social Psychology, 2011, 41, 4, p. 729–772 (2011).

PEGATIN, Thiago de Oliveira; XAVIER, Antonio Augusto de Paula. Análise de risco para disfunções músculo-esqueléticas na atividade de operadores de enchimento de cilindros. In: XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006.

PEHKONEN, Irmeli; et al. Evaluation of a participatory ergonomic intervention process in kitchen work. Applied Ergonomics, v. 40, n. 1, p. 115–123, 2009.

PIZO, Carlos Antonio; MENEGON, Nilton Luiz. Análise ergonômica do trabalho e o reconhecimento científico do conhecimento gerado. Produção, v. 20, n. 4, out./dez 2010.

RECH, Sandra Regina. Modelo Conceitual de Análise Competitiva em Micro e Pequenas Empresas do Setor de Confecções. In: Acesso em 09/03/2011

RIVILIS, Irina; et al. Effectiveness of participatory ergonomic interventions on health outcomes: A systematic review. Applied Ergonomics, v. 39, n. 3, p. 342–358, 2008.

SANTOS, Neri; FIALHO, Francisco. Manual de Análise Ergonômica do Trabalho. Curitiba: Genesis. 2 ed. 1997.

SILVA E SANTOS, Marcello. Ergonomia de concepção na prevenção de inadequações no ambiente de trabalho construído. Ação Ergonômica, v. 3, n. 2, set/2008.

SILVA, Carlos Rodrigues da; et al. Ergonomia: um estudo sobre sua influência na produtividade. Revista de Gestão USP, v. 16, n. 4, outubro-dezembro, 2009.

ST-VINCENT, M.; CHICOINE, D.; BEAUGRAND, S. Validation of a participatory ergonomic process in two plants in the electrical sector. International Journal of Industrial Ergonomics, v. 21, n. 1, p. 11-21, 1998.

WELLSA, Richard B.; MATHIASSENC, Svend Erik; MEDBOD, Lars; WINKEL, Jørgen. Time: a key issue for musculoskeletal health and manufacturing. Applied Ergonomics, v. 38, n. 6, p. 733-744, 2007.




e-ISSN 2175-8018


Creative Commons License
IJIE - Iberoamerican Journal of Industrial Engineering foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.


Iberoamerican Journal of Industrial Engineering. Universidade Federal de Santa Catarina. Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas. Florianópolis, SC, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial do IJIE, encaminhe um e-mail para periodico.ijie@gmail.com ou ijie@contato.ufsc.br