“Localização de Jogos: Libertando a Imaginação com Tradução ‘Restrita’”, de Carme Mangiron e Minako O’Hagan

Rafael Galhardi

Resumo


 

RESUMO:Do começo humilde nos anos 70 até os dias de hoje, a indústria de videogames tornou-se um fenômeno mundial. Apesar de boa parte dos jogos serem desenvolvidos em japonês ou inglês, a globalização da cultura popular e o desejo de atingir novos mercados levaram os produtores a traduzir seus jogos para diferentes línguas. Isto trouxe à tona um novo campo de tradução, a localização de jogos, a qual combina elementos de tradução audiovisual e localização de software. Este artigo observa aspectos específicos da tradução de jogos que a levam a ter um caráter único. São examinadas as prioridades e restrições associadas com este gênero de tradução em particular, o qual se apoia em grandes doses de criatividade e imaginação para transmitir uma experiência de jogo satisfatória. Utilizando um estudo de caso do jogo Final Fantasy, uma das séries mais vendidas do console Playstation, apresentam-se exemplos que ilustram os desafios dos localizadores, particularmente nos aspectos linguísticos e culturais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


In-Traduções ISSN 2176-7904, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.