Formação e Profissionalização da Docência

Claudivan Sanches Lopes

Resumo


Discutimos, neste trabalho, questões relacionadas aos processos de formação e de fortalecimento da profissionalidade docente no presente momento histórico. À luz das teorias do saber docente e do movimento pela profissionalização da docência colocamos em debate aspectos relacionadas à natureza e especificidade do saber profissional dos professores e sua importância para a elevação do estatuto social desta profissão. A perspectiva que aqui apresentamos corrobora a ideia de que, paralelamente à busca de conhecimentos para o ensino externamente à profissão, é fundamental identificar os conhecimentos produzidos no ensino, ou seja, os conhecimentos produzidos pelos professores em seu contexto sempre complexo de trabalho. Deste modo, os ventos que sopram da academia sempre são bem-vindos, entretanto estes não são os únicos “motores” que podem fazer mover e desenvolver a profissão. A força da profissão deve brotar, fundamentalmente, do seu interior, pelo estabelecimento de uma comunidade profissional consciente de seu papel no ensino. Ou seja, a perspectiva de análise que subjaz a esse texto conduz à compreensão dos saberes docentes como componentes nucleares de sua profissionalidade. Defendemos, portanto, que o repertório de conhecimentos profissionais mobilizados pelo professor em seu trabalho é composto tanto por aqueles conhecimentos elaborados por investigadores especializados nas diversas áreas afins à educação e à disciplina que ministra como por aqueles conhecimentos elaborados, individual ou coletivamente, pelos próprios professores no processo de reflexão sobre suas práticas.


Palavras-chave


Formação de Professores; Saberes Docentes; Profissionalidade Docente.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRÉ, M. Pesquisa, formação e prática docente. In: ANDRÉ, M. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas, SP: Papirus, 2001. p. 55-69.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 1997.

BORGES, C.; TARDIF, M. Os saberes dos docentes e sua formação: apresentação. Educação & Sociedade, Campinas, SP, ano 22, n. 74, p. 11-26, 2001.

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoría crítica de la enseñanza: la investigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona: Martínez Roca, 1988.

CONTRERAS, J. A autonomia dos professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CUNHA, M. I. Profissionalização docente: contradições e perspectivas. In: VEIGA, I. P. A.; CUNHA, M. I. (Orgs.). Desmistificando a profissionalização do magistério. Campinas, SP: Papirus, 1999. p. 127-147.

ENGUITA, M. F. O magistério numa sociedade em mudança. In: VEIGA, I. P. A. Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas, SP: Papirus, 1998. p. 11-26.

ENGUITA, M. F. Educar em tempos incertos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto, 1995. p. 93-124.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru, SP: Edusc, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 15. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

GAUTHIER, C. et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí, RS: Unijuí, 1998.

LOPES, C. S. O professor de Geografia e os saberes profissionais: o processo formativo e o desenvolvimento da profissionalidade. 2010. 258 f. Tese (Doutorado) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 de maio de 2014.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MONTERO, L. A construção do conhecimento profissional docente. Lisboa: Instituto Piaget, 2005.

NÓVOA, A. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto, 1995. p. 13-34.

NÓVOA, A. Relação escola-sociedade: “novas respostas para um velho problema”. In: SERBINO, R. V. (Org.). Formação de professores. São Paulo: UNESP, 1998. p. 19-39.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999. p. 15-34.

ROLDÃO, M. C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, v. 12 n. 34, p. 94-103, 2007.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto, 1995. p. 63-92.

SANTOS, M. A natureza do espaço; técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: EDUSP, 2004.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992, p. 77-91.

SHULMAN, L. S. El saber y entender de la profesión docente. Estúdios Públicos, Santiago-Chile, n. 99, p. 195-224, 2005.

TARDIF, M. et al. Os professores face ao saber: Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria & Educação, n. 4, p. 215-253, 1991.

ZEICHNER, K. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador-acadêmico. In: GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E; M. A. (Orgs.). Cartografias do trabalho docente. 3. reimpressão. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. p. 207-236.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 PESQUISAR – Revista de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia



Pesquisar - Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSN 2359-1870

v. 2, n. 1, nov. 2017