As concepções e os fundamentos de pesquisa de professores de geografia de escolas públicas em Feira de Santana - BA

Willian Falcão Lopes, Maria Cleonice Barbosa Braga

Resumo


A seguinte investigação se debruçou sobre as concepções e os fundamentos de pesquisa de professores de Geografia de escolas públicas de Feira de Santana – BA. Para tanto foram desenvolvidos os seguintes procedimentos: levantamentos, seleções e análises de materiais bibliográficos sobre pesquisa na prática docente e entrevista a 25 docentes de Geografia. A compreensão a que chegamos foi que a maioria dos professores investigados entende pesquisa como a busca por informações para saciar curiosidades rotineiras da vida, inclusive profissional. Essas “pesquisas” não seguem uma metodologia científica ou abordagem.  Sobre o embasamento dessas concepções, esses professores apontaram a prática cotidiana, a iniciação científica e a pós-graduação. Já os que conhecem a pesquisa docente indicaram como fundamentos desses entendimentos a formação continuada, a leitura de livros e as palestras de educação por eles assistidas.


Palavras-chave


Ensino de Geografia; pesquisa; professor pesquisador.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. Pesquisa na escola: O que é como se faz. Ed: Loyola, São Paulo, Brasil, 1998.

BRAGA, M. C. B.; SANTOS, F. de A.. O futuro professor de Geografia no estágio: contribuições de uma prática embasada na pesquisa. In: IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade. São Cristóvão - SE, 2010. V. 1.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº. 09. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em Nível Superior, Curso de Licenciatura, de Graduação Plena. Brasília, 08 de maio de 2001.

CAVALCANTI, L. de S.. Geografia e práticas de ensino: Geografia escolar e procedimentos de ensino numa perspectiva sócio-construtivista. Goiânia: Alternativa, 2002.

DEMO, P.. Pesquisa e construção de conhecimento. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

FERREIRA, A. B. H. Minidicionário de Língua Portuguesa. 3.ed. rev. amp. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa.18.ed São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. Questões de método na construção da pesquisa em educação. São Paulo: Cortez, 2008.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986, p. 99.

PIMENTA, S. G.. Professor reflexivo: Construindo uma crítica. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, Evandro (Orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 4ª ed. São Paulo: Cortês, 2006.

SANTOS, M.. A natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo: HUCITEC, 1996.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 8 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

ZEICHNER, K. M. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador acadêmico. In: GERALDI, C. M.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. (Orgs.) Cartografia do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). SP, Campinas, Mercado de Letras/ALB. 1998.

ZEICHNER, K. M.; DINIZ-PEREIRA, J. E.. Pesquisa dos educadores e formação docente voltada para a transformação social. Cadernos de Pesquisa. v.35, nº 12, maio/agosto/2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v35n125/a0535125. pdf. Acesso em 04 de Março de 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 PESQUISAR – Revista de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Pesquisar - Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSN 2359-1870