O psicólogo na UTI neonatal: revisão integrativa de literatura

Adriany Miorini Vieira de Souza, Renata fabiana Pegoraro

Resumo


A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI) recebe bebês nascidos antes de 37 semanas de gestação completas e denominados “pré-termos”. O interesse pelo tema surgiu a partir da realização de um estágio profissional nessa área, na qual a presença do psicólogo é garantida por lei. O objetivo do artigo foi efetuar uma revisão integrativa de literatura a respeito das funções e atividades desenvolvidas pelo psicólogo em UTI Neonatal. Foram utilizadas as bases de busca Pepsic, Scielo e Redalyc, e o levantamento foi efetuado por meio das palavras-chave: Psicologia, UTI neonatal, cuidado, psicólogo e unidade de terapia intensiva neonatal, a partir do qual foram selecionados 9 artigos completos redigidos em língua portuguesa e publicados entre 2009 e 2014. Foram identificados relatos de experiência, pesquisas e um estudo bibliográfico a respeito da atuação do psicólogo em UTI´s neonatais, e o nível de evidência apontou para estudos qualitativos ou descritivos. Os artigos foram publicados em revistas de Psicologia, Pediatria e Saúde. Após a leitura dos artigos na íntegra, identificou-se como atividades desempenhadas pelo psicólogo em UTI neonatal: acolhimento aos pais, atendimentos individuais a familiares, entrevistas regulares com os pais, coordenação/facilitação de grupos de pais e multiprofissionais, acompanhamento de visitas dos irmãos mais velhos dos bebês internados, anotações em prontuários e atendimentos aos bebês. 


Palavras-chave


psicologia, unidade de terapia intensiva, cuidados

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.